5 Maneiras De Viver Como Um Monge (Sem Ser Realmente Um)

1. Cultive o Silêncio

São Bento escreveu em sua Regra: "falar e ensinar compete ao mestre; ao discípulo convém calar e ouvir"(RB 6). O silêncio é o ambiente que permite que você ouça a voz de Deus e as vozes das pessoas ao seu redor corretamente. Muitas pessoas se sentem desconfortáveis com o silêncio ou acham estranho, por isso preenchem seus dias com ruídos desnecessários e distrações. Desligar a música e o rádio, especialmente quando você está no carro, moderar a televisão ou o uso da Internet irá desafiá-lo a ouvir o Deus que habita em você e falar no fundo do seu coração. Além disso, ficar em silêncio nos ajuda a evitar os pecados de fofoca ou detração. São Bento reproduziu a sabedoria encontrada no Livro dos Provérbios, que diz: "Falando muito não foges ao pecado" (RB 6). Evitando ruídos desnecessários em sua vida, você aprende a cultivar o silêncio interior, que é o cenário ideal para a oração.

2. Seja Fiel à Oração Diária

São Bento disse: "a oração deve ser breve e pura, a não ser que, por ventura, venha a prolongar-se por um afeto de inspiração da graça divina." (RB 20). Esta instrução é reconfortante para aqueles que têm uma semana de trabalho exigente, uma agenda agitada e estão sobrecarregados com inúmeras responsabilidades em casa, na medida em que podem não ser capazes de dedicar grandes períodos de tempo à oração. No entanto, você deve encontrar tempo de manhã para louvar a Deus antes de seu dia começar, e orar em ação de graças durante a noite antes de ir para a cama. Você pode rezar a Liturgia das Horas para santificar o dia, especificamente sendo fiel às Orações da Manhã e da Noite. Seja qual for a sua prática, queira se dedicar em desenvolver uma atitude sincera a respeito de Deus enquanto ora, oferecendo a si mesmo e aos seus entes queridos aos cuidados de Deus. Muitas oportunidades surgirão ao longo do dia para oferecer breves orações de confiança em Deus. O objetivo dos monges (e de todos os cristãos) é orar sem cessar, e você pode faze-lo mantendo a memória de Deus viva em seu coração e mente a cada momento.

3. Forme uma Comunidade Autêntica

Os monges apoiam e encorajam o irmão que se encontra em dificuldades, e celebram uns com os outros durante os momentos de alegria. São Bento instruiu: "ninguém procure aquilo que julga útil para si, mas, principalmente, o que o é para o outroponham em ação castamente a caridade fraterna"(RB 72). Em um mundo de individualismo, mídias sociais e relacionamentos superficiais, todas as pessoas anseiam por um profundo sentimento de pertença e comunhão entre si. A vida espiritual é sempre uma jornada que empreendemos com os outros. Você tem que estar disposto a investir tempo e energia para se envolver pessoalmente com outras pessoas e mostrar interesse em suas vidas, permitindo que suas conversas passem dos tópicos de nível superficial para as áreas mais significativas da vida. Você pode se reunir com outras pessoas que compartilham sua fé, valores e desejo por Deus. Orar juntos, ler e discutir um livro espiritual e estudos bíblicos são maneiras de se unir para crescer na fé.

4. Arranje Tempo para a Lectio Divina

A antiga prática monástica da Lectio Divina ou "Leitura Sagrada" enfatiza uma leitura lenta e orante da Sagrada Escritura que tem a intenção de permitir que você ouça a Palavra e busque a paz na presença de Deus. São Bento advertia seus monges: "A ociosidade é inimiga da alma; por isso, em certas horas devem ocupar-se os irmãos com o trabalho manual, e em outras horas com a leitura espiritual."(RB 48). A reflexão sobre a Palavra de Deus, se praticada intensamente e em oração, tem o poder de chamá-lo para uma conversão contínua da vida. Familiarize-se com o método e tome entre 15 a 30 minutos por dia em um ambiente silencioso para praticar Lectio Divina com a Escritura ou, em espírito de oração, ler os escritos dos santos ou outras grandes obras espirituais. A leitura espiritual nutre sua mente e alma e, muitas vezes, fornece aquelas palavras inspiradas que você precisava ouvir. Encontrar a Palavra de Deus todos os dias de maneira orante nos leva a uma comunhão mais profunda com Aquele que nos comunica a palavra.

5. Pratique a Humildade

Numerosas partes da Regra de São Bento destacam a importância da humildade, mais notavelmente no capítulo 7, em que São Bento descreve a humildade como uma escada com doze degraus que o monge deve ascender. O primeiro passo é que um monge mantenha o "temor de Deus" sempre diante de seus olhos (RB 7). Quando você teme a Deus ou tem "reverência" a Deus, você mantém um relacionamento correto, percebendo que você é a criatura e não Deus. A humildade é uma virtude que precisa ser desenvolvida e implica ser realista, honesto e sincero, tanto na oração, como no trabalho e nos assuntos cotidianos. São Bento escreveu: "Colocar toda a esperança em Deus. O que achar de bem em si, atribuí-lo a Deus e não a si mesmo. Mas, quanto ao mal, saber que é sempre obra sua e a si mesmo atribuí-lo. "(RB 4). Ser uma pessoa humilde significa ser grato pelas bênçãos e oportunidades que Deus lhe dá e reconhecer que seus dons e talentos têm Deus como sua fonte. Permita que as lutas diárias, e até mesmo cair no pecado, sejam um convite à humildade, onde você admite sem hesitação que você deve depender inteiramente da graça de Deus, e não de sua força.

Por Pe. Paul Sheller, OSB, diretor vocacional, Conception Abbey

Original em inglês: The Catholic Gentleman