A Igreja Precisa de Mudança de Mentalidade

A Igreja está celebrando até 25 de novembro de 2018 o "Ano do Laicato". Aproveitando este período, trazemos as palavras do então Papa Bento XVI que, em maio de 2009, assim se expressou por meio de um discurso dirigido aos participantes do Congresso Eclesial da Diocese de Roma acerca do leigo na Igreja:

"Isto exige uma mudança de mentalidade no que diz respeito particularmente aos leigos, passando do considerá-los "colaboradores" do clero ao reconhecê-los realmente "responsáveis" do ser e do agir da Igreja, favorecendo a consolidação de um laicado maduro e comprometido."

Os leigos não são apenas os colaboradores do clero, mas sim compartilham a responsabilidade do ministério da Igreja, diz Bento XVI.

O Papa pediu aos leigos que se tornem mais conscientes do seu papel quando abriu nesta terça-feira o Congresso Eclesial da Diocese de Roma sobre "Membro da Igreja e Corresponsabilidade Pastoral". O Congresso está em curso até a sexta-feira.

"Deve haver uma renovada tomada de consciência do nosso ser Igreja e da corresponsabilidade pastoral que, em nome de Cristo, todos somos chamados a exercer", disse o Santo Padre. Esta corresponsabilidade deve avançar "no respeito das vocações e dos papéis dos consagrados e dos leigos", complementou ele.

O Pontífice reconheceu que isso requer uma "mudança de mentalidade," especialmente no tocante ao leigo, "passando do considerá-los "colaboradores" do clero ao reconhecê-los realmente "corresponsáveis" do ser e do agir da Igreja, favorecendo a consolidação de um laicato maduro e comprometido."

O Bispo de Roma sugeriu que "ainda existe a tendência a identificar unilateralmente a Igreja com a hierarquia, esquecendo a comum responsabilidade, a comum missão de todos os batizados.

"Em que medida é reconhecida e favorecida a corresponsabilidade pastoral de todos, particularmente dos leigos?" perguntou o Papa.

Referindo-se ao leigo comprometido no serviço da Igreja, o Papa disse que "nunca deve faltar a consciência de que são "Igreja" porque Cristo, Palavra eterna do Pai, as convoca e as faz seu Povo."

Bento XVI assim solicitou aos sacerdotes que transmitam aos leigos um "sentido de pertença à comunidade paroquial" e a importância de unidade. Ele encorajou ainda que os leigos se aproximem da Sagradas Escrituras, por meio de práticas tais como a Lectio Divina, e realizar atividades missionárias, em primeiro lugar, através da vida de caridade.

O Santo Padre afirmou que os preparativos para o Jubileu do Ano 2000 em Roma ajudaram "a comunidade eclesial tomasse consciência do facto que o mandato de evangelizar não diz respeito a alguns, mas a todos os batizados."

É assim que a Igreja tem vivido por gerações, acrescentou, com "tantos batizados que dedicaram a sua viva para educar na fé as novas gerações, para curar os doentes e socorrer os pobres."

"Esta mesma missão é confiada hoje a nós, em situações diversas, numa cidade na qual não poucos batizados esqueceram o caminho para a Igreja e os que não são cristãos não conhecem a beleza da nossa fé." afirmou o Papa.

Por outro lado, ele advertiu contra a tendência de se ver o Povo de Deus desde um ponto de vista "puramente sociológico, com uma ruptura quase exclusivamente horizontal, que excluía a referência vertical a Deus."

O Pontífice apontou a distinção entre "Povo de Deus" e "Corpo de Cristo", afirmando que ambos conceitos "se completam e formam juntos o conceito neotestamentário de Igreja."

Ele explicou: "Enquanto 'Povo de Deus' expressa a continuidade da história da Igreja, 'Corpo de Cristo' expressa a universalidade inaugurada na cruz e na ressurreição do Senhor."

"Em Cristo tornamo-nos realmente o Povo de Deus. E 'Povo de Deus' significa portanto 'todos': começando pelo Papa até à última criança batizada."

"Portanto a Igreja não é o resultado de uma soma de indivíduos, mas uma unidade entre aqueles que são alimentados pela única Palavra de Deus e pelo único Pão de vida.," observou o Pontífice.

E a Igreja "cresce no tempo e se desenvolve," afirmou ele. "O futuro do cristianismo e da Igreja em Roma depende também do compromisso e do testemunho de cada um de nós."

- Original em inglês: https://zenit.org/articles/benedict-xvi-church-needs-change-of-mentality/