Usinas de Descarte de Bebês Abortados

~Salmo 38 - Dado Bíblico

Vós formastes os meus rins

Vós me tecestes no seio de minha mãe

Eu Vos louvo, porque tão maravilhosamente me plasmastes,

Porque tão admiráveis são as vossas obras;

Conheceis, à perfeição, a minha alma,

E não Vos é oculto o meu corpo

Quando fui formado no mistério,

E tecido nas profundezas da terra.

Viram os vossos olhos as minhas ações,

E no vosso livro todas elas estão escritas;

Foram prefixadas os meus dias,

Antes que um só deles existisse.

Didaké 2,2 - Primeira regra moral dos primeiros cristãos

"Não matarás o embrião por aborto e não farás perecer o recém-nascido."


Usávamos "grandes fornos": vídeos chocantes expõem as usinas de descarte de bebês abortados.

COLUMBUS, Ohio, 28 de agosto de 2018 (LifeSiteNews) - O grupo pró-vida Created Equal está lançando uma nova série de vídeos na quarta-feira (29.08.18), expondo a terrível realidade do aborto de uma perspectiva única: relatos em primeira mão dos motoristas de caminhão responsáveis por pegar restos de bebês de instituições de aborto.

O primeiro dos três próximos vídeos "expondo os atos sujos da indústria do aborto" apresenta o áudio de um ex-motorista de Stericycle que pegava restos fetais de um centro de aborto não especificado "pelo menos duas vezes por semana", de outubro de 2016 a junho de 2017. Stericycle é um empresa de tratamento de resíduos hospitalares que ajudava a descartar restos fetais para a Planned Parenthood, e alegou em 2017 ter parado de aceitar quaisquer bebês abortados.

AVISO: o vídeo contém imagens gráficas de aborto. Aconselhamos a discrição do telespectador.

O motorista descreve como a equipe enviaria alguém para encontrá-lo em um posto de gasolina próximo, quando os manifestantes pró-vida estavam na frente do prédio. "Eu não me sentia bem fazendo isso porque é muito público", diz ele. O vídeo mostra caixas de plástico, latas e caixas de papelão, sem especificação, sendo carregados na traseira de um caminhão.

O homem explica que, apesar de não gostar de "muitas coisas que faziam" e do fato de que seu empregador "não foi honesto comigo desde o começo", ele acabou sendo obrigado a deixar o emprego. Essa foi aparentemente uma experiência comum, porque ele estima que ele era "o sétimo cara em dois anos" que fez o mesmo.

"Toda vez que eu passava por aquele lugar, eu sentia um calafrio por dentro, então eu não queria mais lidar com eles", disse o ex-motorista.

Enquanto ele descreve o momento em que acompanhou as enfermeiras e as assistiu retirarem os restos fetais dos freezers e depois embalá-los em sacos vermelhos e caixas de papelão, o vídeo mostra o freezer de uma geladeira padrão cheia de objetos em sacos plásticos vermelhos e azuis. Em uma prateleira, o "lixo" está depositado ao bem ao lado de um frasco de suco Minute Maid.

"E cheirava mal, então, o que está congelado com sangue, dá para você ver, e te faz ter vontade de vomitar?" pergunta ele. Nesse ponto, a tela muda para imagens em close-up de mãos, pernas, rostos - tudo mais - sangrentos de bebês abortados. "E você vira o rosto porque não quer vê-la enfiar na caixa e lacrar."

"Então, o que mais vocês estão descartando? É um clinica de mulher. Um bebê ", ele disse.

O motorista explica que os bebês abortados marcados para incineração são enviados para um "forno grande que eles tinham em suas instalações" para serem descartados, uma parte do processo que ele "temia".

O vídeo faz parte do Project Weak Link da Created Equal, que foi lançado em 2016 com a premissa de que a indústria do aborto não pode funcionar sem que as empresas de resíduos médicos as ajudem a descartar o grande número de corpos de crianças que eles acumulam.

"Estamos todos a um passo de distância de fecharem um incinerador, ou uma empresa de incineração", disse Renee Chelian, dona da cadeia de abortos de Michigan, em uma Conferência da Federação Nacional de Aborto em 2014. "Eu tinha cinco meses de tecido fetal valioso nos meus freezers" antes de Stericycle aparecer.

Ao citar o depoimento de ex-motorista e uma riqueza de imagens captadas por testemunhas oculares, a Created Equal alega que a Stericycle continua a coletar bebês mortos de abortistas, apesar de suas negações públicas.

"A menos que a Stericycle se negue a possibilitar as instituições de aborto coletar, transportar e descartar restos fetais, bem como os instrumentos usados para matá-los e outros resíduos, nunca vamos parar de expô-los ao público", declarou o presidente da Created Equal Mark Harrington. "A Stericycle precisa eliminar o cartel do aborto cancelando todos os contratos com clínicas de aborto ou enfrentando a exposição pública contínua e má publicidade."

A Created Equal exorta os pró-vida a ligar para o CEO da Stericycle, Charles Alutto, no número (847) 607-2004 para exigir que ele "pare de mentir sobre o envolvimento de sua empresa no holocausto do aborto" e "pare de abrir espaço ao aborto ao transportar e descartar bebês abortados e instrumentos utilizados para matá-los." Informações de contato completas para os vários departamentos da Stericycle podem ser encontradas aqui.

Original em inglês: LifeSiteNews