Um Evento Litúrgico Raro Prestes A Acontecer Em Washington

Missas Solenes Pontifícias são bastante raras nos EUA; ainda por cima com um arranjo recém-composto? Isto é algo quase inédito.

O ano de 2019 tem sido um período confuso e angustiante para muitos católicos, que se perguntam: como devemos responder aos problemas dentro e fora da Igreja? Quanto a mim, volto ao ano de 1562.

Em 1562, o grande Palestrina escreveu sua grande Missa para o Papa Marcelo. O Papa Marcelo reinou por apenas três semanas. A Missa de Palestrina foi usada para a coroação de papas ao longo dos séculos, incluindo mais recentemente a coroação de Paulo VI em 1963, ou seja: continua na memória viva.

O ano de 1562 também foi um período extremamente problemático, confuso e histórico para a Igreja Católica. A população da Europa havia acabado de se recuperar da perda de três quintos de sua população para a Peste Negra, um século e meio antes. As pragas continuaram ameaçando até que a última Grande Praga de Londres matou um quarto da população em 1665. (O próprio Palestrina perdeu seu irmão, dois de seus filhos e sua esposa em três surtos separados da praga). As revoluções científicas de Copérnico e posteriormente as de Galileu abalaram a confiança cultural no que era entendido como verdade bíblica. Em 1517, Martinho Lutero pregou suas 95 teses na porta da igreja, lançando o grande cisma que ainda hoje divide o cristianismo. Guerra e avisos de guerra ameaçavam enquanto reis e rainhas da Europa tomavam partido na Reforma. Apenas 35 anos antes, tropas do Sacro Imperador Romano Carlos V saquearam Roma: "estupros, assassinatos, incêndios, roubos e coisas do gênero não eram vistas desde os vândalos". Almas e países estavam sendo perdidos.

Em 1562, o grande Concílio de Trento chegava ao fim histórico de seu encerramento, resultando na afirmação dos principais ensinamentos católicos, uma Bíblia Católica padronizada e uma forma fixa da Missa que seria a forma da liturgia da Igreja Católica para os próximos 500 anos.

Em seu momento de grande crise, desde o seio da Igreja e sob seu patrocínio, surgiram grandes obras de arte e grandes composições musicais para a Missa que ainda nos dias de hoje agitam as almas até dos pagãos e ateus. O grande compositor inglês William Byrd (1543-1623), inspirado talvez por outro grande compositor inglês com quem trabalhou e que perseverou como um "católico romano não-reformado": o grande Thomas Tallis (1505-1585). Byrd foi estimulado por um grande patrono das artes, Sir John Petre, que mantinha de forma clandestina celebrações da Missa e encomendava obras de arte.

Em 1562, os católicos entenderam, como o Papa Bento XVI nos ensinou: 

"A única apologia realmente eficaz para o cristianismo se resume a dois argumentos: os santos que a Igreja produziu e a arte que cresceu em seu ventre".

Neste dia 16 de novembro, na Basílica do Santuário Nacional da Imaculada Conceição, em Washington, DC, ocorrerá um evento de extraordinário significado espiritual e cultural: uma nova composição para uma Missa Pontifícia Solene em homenagem à Bem-Aventurada Virgem Maria simultaneamente sob seus títulos de Nossa Senhora de Guadalupe e Nossa Senhora da Imaculada Conceição (a padroeira do México e de todas as Américas e a padroeira dos Estados Unidos). A Missa chama-se "A Missa das Américas", e o compositor é Frank La Rocca. (Para mais informações ou para se registrar para participar, visite MassOfTheAmericas.com.)

Uma Missa Pontifícia Solene é um evento raro nos Estados Unidos. Uma Missa recém-composta? Tenho dificuldade de me recordar de algum precedente recente.

Por que isso está acontecendo aqui e agora? A resposta é o patrocínio e o entusiasmo artístico do Arcebispo Salvatore J. Cordileone, que há apenas cinco anos fundou o Instituto Bento XVI de Música Sacra e Culto Divino. Sua missão? Abrir a porta do Belo para promover o encontro com  Deus através da beleza da Liturgia e dar um novo impulso a cultura Católica das artes.

"Entre muitos escândalos, pecados e problemas devastadores, a maior crise que a Igreja enfrenta hoje é a perda do sentido do sagrado", disse-me o Arcebispo Cordileone. "A Beleza tem o poder de elevar corações e almas à realidade de Deus."

E assim a Missa das Américas, originalmente composta por Frank La Rocca para a Forma Ordinária da Missa, saiu em uma turnê mariana sem precedentes: São Francisco, Tijuana, Houston (24 de novembro), Dallas (2020), Cidade do México (TBA) e em 16 de novembro na capital do nosso país, Washington DC.

A Missa das Américas está, portanto, no centro da interseção dessas duas missões. "Este é o renascimento do modelo Renascentista e da Contra-Reforma", disse o Arcebispo Cordileone, "bela música sacra composta desde o âmago da Fé, indo ao encontro de novas audiências, movendo-se pelas grandes catedrais, igrejas e santuários do mundo".

O compositor Frank La Rocca concordou: 

"Ela lembra com muito vigor o projeto pós-tridentino da Igreja para apoiar a criação de música e de outras artes que proclamassem simbolicamente quem ela é e o que ela ensina, além de usar o poder da beleza para atrair as pessoas para um encontro com essas questões. A beleza tem o poder de formar diretamente a alma e prepará-la para receber a Verdade. "

A Missa das Américas será televisionada ao vivo pela EWTN. O presidente John Garvey e a reitora Jackie Leary-Warsaw da Universidade Católica da América participarão de uma recepção VIP posteriormente.

Na parte da tarde, a Escola de Música, Drama e Artes de Roma organizará juntamente com o Instituto Bento XVI uma pós-conferência de artistas, compositores, músicos, poetas e pintores. A conferência termina com o lançamento de um novo livro de poemas comemorando A Missa das Américas, de James Matthew Wilson, o homem que Dana Gioia me disse que é "o futuro das Letras Católicas na América". O dia termina com um Jantar Beneficente e Salão de Artes no National Arts Club (histórica casa do Presidente James Monroe), que começará às 19h30. (As pessoas podem se inscrever para a missa em MassOfTheAmericas.org. Os ingressos para o jantar beneficente podem ser adquiridos em RSVP.BXVI.org.)

"A beleza é a ponta de lança da evangelização", nos lembrou o Bispo D. Robert Barron. Em 16 de novembro, adicione uma lança de luz à aljava da Igreja.


Original em inglêsCatholic Harold