Os Títulos De Maria

Desde as primeiras reflexões teológicas na história cristã encontramos a defesa do mais importante dos títulos de Maria, "Theotokos" em grego. É traduzido como portadora de Deus ou "Mãe de Deus". O grande Bispo de Constantinopla, São João Crisóstomo (✚ 407), compôs uma Oração Eucarística para a Divina Liturgia (Santa Missa) ainda em uso hoje:

"Verdadeiramente é digno e justo que te bendigamos, ó bem- aventurada Mãe de Deus. Tu, mais venerável que os queru- bins e, incomparavelmente, mais gloriosa que os serafins; deste à luz o Verbo de Deus, conservando intacta a glória da tua virgindade. Nós te glorificamos, ó Mãe de nosso Deus! ."

Objeções ao termo ocorreram cedo na história cristã. No quinto século, outro bispo de Constantinopla chamado Nestório afirmava que Maria era a mãe somente do Jesus humano a quem a Palavra divina de Deus estava de alguma forma unida. Ele e seus seguidores insistiram que Maria era apenas a "mãe de Cristo". Percebe-se o perigo implícito nessa objeção. O bispo errante sustentava ao afirmar que somente o humano Jesus morreu na monte do Calvário. Em suma, ele e seus seguidores desencarnaram Jesus Cristo.

São Cirilo, Bispo de Alexandria, refutou Nestório, afirmando: 

"Com efeito, não nasceu antes, da Santa Virgem, um homem qualquer, sobre o qual depois desceria o Verbo, mas se diz que <este>, unido desde o útero materno, assumiu o nascimento carnal, apropriando-se o nascimento de sua própria carne. (...)"

Em 22 de junho de 431, o Concílio de Éfeso foi convocado. Aquele grande Concílio insistiu 

"Se alguém não confessar que o Emanuel é Deus no sentido verdadeiro e que, portanto, a santa Virgem é deípara (pois gerou segundo a carne o Verbo que é de Deus e veio a ser carne), seja anátema.". 

O Concílio afirmou que Jesus Cristo é Uma Pessoa, com duas naturezas - humana e divina e que esta é uma união que não pode ser separada.

A afirmação do Concílio de que Maria pode legitimamente ser chamada de Mãe de Deus é, portanto, profundamente "cristológica", afirmando quem é Jesus e quem podemos nos tornar Nele. Maria não é Mãe de Deus, o Pai, ou Mãe de Deus, o Espírito Santo; antes, ela é a Mãe de Deus, o Filho - Jesus Cristo.

A Encarnação é um "mistério", no sentido da palavra grega da qual deriva nossa palavra portuguesa, "mysterion". É incapaz de ser plenamente expressa em palavras, mas precisa ser recebida como um dom na fé.

Os títulos dados a Maria nunca foram vistos, de forma alguma, como uma redução do papel único de seu Filho e Salvador Jesus Cristo. Eles foram o fruto de homens e mulheres que, inspirados pelo Espírito, receberam profundos insights sobre o significado de Jesus Cristo e a obra da salvação.

Disponibilizamos o livro Maria e Seus Títulos, que poderá ser útil para todos em geral, pois. terão nele uma escola de formação de como se desenvolveu o culto mariano ao longo dos séculos, no meio dos povos. A seguir, há ainda um breve vídeo sobre Nossa Senhora e seus títulos.


A Ladainha Lauretana (ou de Loreto):

Litania é uma palavra grega para oração (do latim litania, letania, do grego lite, oração ou súplica). Entre muitas litanias ou orações que relatam seus títulos, encontramos a Litania de Loretto de 1558 na Igreja Ocidental.

Leão XIII prescreveu que no mês de outubro o Rosário fosse terminado com a Ladainha de Nossa Senhora. Isto fez com que a Ladainha fosse introduzida como um apêndice do Rosário. Na realidade, ela constituí uma oração própria, cuja origem está no século XVI, em Loreto, de onde provém o seu nome.

Senhor, tende pidedade de nós

Senhor, tende piedade de nós

Cristo, tende pidedade de nós

Cristo, tende pidedade de nós

Senhor, tende pidedade de nós

Senhor, tende piedade de nós

Cristo, ouvi-nos

Cristo, ouvi-nos

Cristo, atendei-nos

Cristo, atendei-nos

Pai do céu, que sois Deus, tende piedade de nós

Filho Redentor do mundo, que sois Deus, tende piedade de nós

Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós

Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós

Santa Maria, rogai por nós.

Santa Mãe de Deus,

Santa Virgem das virgens,

Mãe de Cristo,

Mãe da Igreja

Mãe da divina graça,

Mãe puríssima,

Mãe castíssima,

Mãe sempre virgem,

Mãe imaculada,

Mãe digna de amor,

Mãe admirável,

Mãe do bom conselho,

Mãe do Criador,

Mãe do Salvador,

Virgem prudentíssima,

Virgem venerável,

Virgem louvável,

Virgem poderosa,

Virgem clemente,

Virgem fiel,

Espelho de perfeição,

Sede da Sabedoria,

Fonte de nossa alegria,

Vaso espiritual,

Tabernáculo da eterna glória,

Moradia consagrada a Deus,

Rosa mística,

Torre de Davi,

Torre de marfim,

Casa de ouro,

Arca da aliança,

Porta do céu,

Estrela da manhã,

Saúde dos enfermos,

Refúgio dos pecadores,

Consoladora dos aflitos,

Auxílio dos cristãos,

Rainha dos Anjos,

Rainha dos Patriarcas,

Rainha dos Profetas,

Rainha dos Apóstolos,

Rainha dos Mártires,

Rainha dos confessores da fé,

Rainha das Virgens,

Rainha de todos os Santos,

Rainha concebida sem pecado original,

Rainha assunta ao céu,

Rainha do santo Rosário,

Rainha da paz.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós.

Rogai por nós, santa Mãe de Deus.

Para que sejamos dignos das promessas de Cristo

Oremos

Senhor Deus, nós Vos suplicamos que concedais aos vossos servos perpétua saúde de alma e de corpo; e que, pela gloriosa intercessão da bem-aventurada sempre Virgem Maria, sejamos livres da presente tristeza e gozemos da eterna alegria. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.