O Que Eu Falo Para Os Meus Coroinhas

Meninos, antes de chegarmos aos detalhes, quero que vocês saibam por que temos Coroinhas.

Os diáconos e eu precisamos de vocês para trazer a água, o pão e o vinho para o Altar? Não, nós poderíamos fazer isso sozinhos. Precisamos de você para levar as velas, a Cruz e segurar o Missal? Na verdade, não. Espera-se que o padre esteja com as mãos estendidas em oração, o que o impede de segurar o Missal, mas podemos simplesmente deixá-lo no Altar. Precisamos que vocês toquem o carrilhão (sinetas), virem a página e lavem nossas mãos? Não. Nós poderíamos fazer tudo isso sem vocês.

Na verdade, vocês não foram chamados para serem úteis. Vocês foram chamados para conduzir a adoração. Contanto que vocês entendam isso, tudo o que ensinarmos, vocês seguirão. Vejam, todos nós trabalhamos juntos para levar os fiéis a adorar a Deus - tal não cabe apenas ao sacerdote e aos diáconos. Eu conto com vocês não apenas para fazer essas tarefas em particular.  Mais do que isso, conto com vocês para algo muito maior, mais nobre, mais belo e mais verdadeiro. Nossa adoração na Terra reflete a adoração no Céu. O que fazemos aqui no Santo Sacrifício da Missa é uma espécie de eco distante do que acontece no Céu.

Lá, o Cordeiro de Deus é oferecido em um sacrifício perene e eterno. Lá, os Santos e os Anjos O adoram em volta do Seu Trono. Naquela Cidade não há sol, lua ou estrelas, pois o próprio Cordeiro é a Luz desta Cidade. Este Altar que vocês veem aqui é um reflexo do Altar no Céu. Vocês veem o Cordeiro no mosaico na frente do Altar? Isso porque no Céu o Cordeiro está no Trono e aqui o Altar se torna o Seu trono. O cálice, no mosaico, é um sinal do Eterno e Precioso Sangue do Cordeiro. Esta hóstia é, na Terra, o sinal do Pão Eterno do Céu. O sacerdote é um ícone de Cristo, o Senhor - e quem são vocês? Vocês representam e refletem na Terra as hostes celestiais.

Isso mesmo. Vocês representam os Santos e os Anjos.

É por isso que, quando podemos, há crianças servindo na Missa, porque vocês, crianças, lembram, a nós adultos, o que o Senhor Jesus nos disse:

"Em verdade vos declaro: se não vos transformardes e vos tornardes como criancinhas, não entrareis no Reino dos Céus."

Então, apenas por serem crianças, vocês nos lembram como devemos ser; devemos nos tornar como os Santos e os Anjos.

Portanto, uma vez que vocês representam a hoste celestial dos Santos e Anjos, eu quero que vocês se comportem como tal. É claro que sei que vocês ainda não são santos e sei que não são anjos. Vocês brigam com seus irmãos e irmãs. Alguns de vocês são brigões e outros são medrosos. Vocês mentem, trapaceiam e tem maus pensamentos. Vocês desobedecem a seus pais e são egoístas e respondões. No entanto, vocês tem um papel a desempenhar na Divina Liturgia, porque apesar de tudo isso, vocês são chamados a refletir algo maior. Vocês são chamados para se tornarem tudo aquilo que vocês serão; e se vocês ficam impressionados com o que eu estou esperando de vocês, pensem como me sinto, pois sou um pecador como vocês e sou chamado a representar o próprio Cristo para as pessoas.

Dito isso, eis o vamos fazer: Primeiro de tudo, quando entramos na igreja, vestiremos imediatamente a batina. Elas são suas roupas de trabalho. Serviremos no templo do Senhor usando a batina e seremos como o jovem Samuel, que serviu no templo de Deus com simplicidade e bondade. Quando entrarem em procissão na casa de Deus, o façam com solenidade simples. Nem com cara de estátua piedosa e nem também fazendo gracinhas. Basta fazer o serviço de vocês - lembrando que estão na casa de Deus, um lugar sério para fazer de um trabalho sério. Ao acenderem as velas, arrumarem o Missal e se prepararem para a Missa, lembrem-se de que as pessoas nos bancos estão observando vocês. A reverência, o cuidado e o amor que vocês demonstrarem pelo que fazem serão passados a eles e os ajudarão a rezar.

Então, antes da Missa começar, voltem para a sacristia onde eu e o diácono estaremos. Lá, vamos vestir nossas sobrepelizes, alvas e vestimentas. Em seguida acenderemos as velas, o turíbulo, tomaremos nossos lugares e esperaremos que a Divina Liturgia comece.

Quando vocês entrarem em procissão na igreja, lembrem-se de que estão levando todo o povo de Deus à presença de Deus. Nossa pequena procissão remonta à procissão de Davi e dos sacerdotes até a cidade santa de Sião. A Cruz será erguida bem alto e vocês caminharão com uma postura solene e imponente, pois estão levando todos nós à presença do Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Saibam para onde estão indo e cheguem lá com a graça de uma criança e a dignidade de um príncipe. Onde vocês forem, nós os seguiremos.

Ao sentarem-se no santuário, lembrem-se de que as ações falam mais alto que palavras. Vocês podem não ter muitas tarefas para fazer, mas sabiam que também servem aqueles que apenas ficam de pé e esperaram? Simplesmente pela presença, pela reverência e pela escuta da Palavra de Deus, de forma atenta, vocês ajudarão a incentivar a adoração e encorajar aqueles que os veem. Quando vocês tiverem uma tarefa para fazer, a façam com simplicidade e confiança, como convém a um servo do Rei. Lembrem-se: Se vocês forem desleixados e informais em suas atitudes e posturas, isso será transmitido aos fiéis. Irá chamar a atenção das pessoas mais para  vocês do que para Cristo, e a Missa não tem nada a ver com vocês e nem comigo, que sou o padre.

Lembrem-se de que o que fazemos na Missa é a coisa mais importante na vida de vocês. Todo o resto vem depois. 

"Buscai primeiro o Reino de Deus e tudo o mais vos será acrescentado"

Aqui na Missa, vocês veem que o Belo, a Verdade e o Amor são os três tesouros mais importantes da Terra, e são três coisas que não podem ser compradas. Além disso, embora sejam muito preciosas, elas também são (do ponto de vista humano) as mais inúteis. O que vocês estão fazendo aqui, quando servem na Missa, não é uma coisa útil. Não há um pagamento. Não há uma recompensa - exceto a recompensa de saber que os seus corações agradam a Deus e que passaram uma hora no limiar do Céu.

E se aprenderem a fazer isso, então, durante toda a vida, o que quer que lhes aconteça, vocês serão muitíssimo abençoados.


Original em inglês: Fr. Dwight Longenecker