O Lucrativo Negócio do Aborto

Um artigo de 15 de abril de 2015 na Natural News intitulado "As Principais Empresas de Alimentos Usam o Tecido de Bebês Abortados para Fabricar Aditivos de Sabor em Alimentos Processados" afirma...

Toda vez que você compra "alimentos" processados produzidos em massa de marcas como Kraft, PepsiCo ou Nestlé, você está escolhendo, quer perceba ou não, para alimentar sua família não apenas com venenos e aditivos químicos geneticamente modificados, mas também vários agentes aromatizantes fabricados, que usam tecido de bebês humanos abortados.

É verdade: uma empresa sediada na Califórnia, conhecida como Senomyx, está no negócio de usar células embrionárias abortadas para testar produtos químicos saborizantes, em salgados e doces, que são adicionados a produtos como refrigerantes, doces e biscoitos. E a Senomyx admitiu ter parceria com uma série de grandes fabricantes de alimentos para acrescentar seus aditivos canibais em todos os tipos de alimentos fabricados e devorados por milhões de consumidores americanos todos os dias.

Conhecida como HEK-293, a linhagem celular de fetos humanos abortados usada pela Senomyx é manipulada para avaliar como o paladar humano reagirá aos sabores sintéticos usados na produção de alimentos processados. Como a maioria dos alimentos processados no mercado atualmente não é comida, e normalmente não tem nenhum sabor ou apelo reais por si mesmos, empresas químicas como a Senomyx são contratadas para desenvolver produtos artificiais (que são muitas vezes enganosamente rotulados como "sabores naturais"), a fim de fazê-los parecer ter o gosto comida de verdade.

Porque esses ingredientes podem ser legalmente disfarçados com vagos descritores como "sabores artificiais" e até mesmo "sabores naturais", ambos os termos aprovados pelo FDA.[1] A maioria dos consumidores não tem idéia que esses aditivos, em alguns casos, são feitos se usando o tecido celular de bebês não nascidos que foram assassinados através do aborto. Ele é doentio, mas é verdade, e as pessoas precisam aprender a verdade para evitar participar do que a EndAllDisease.com diz equivaler a um ritual satânico. Embora a PepsiCo e a Kraft/Cadbury não estejam mais usando Senomyx, desde novembro de 2017.

"O que eles não dizem ao público é que eles estão usando HEK 293 - células renais embrionárias humanas retiradas de um bebê abortado para produzir esses receptores", disse Debi Vinnedge, do grupo pró-vida Children of God for Life, essa horrível verdade da indústria química de saborizantes. "Eles poderiam facilmente ter escolhido células animais, insetos ou outras células humanas, que expressem a proteína G para receptores gustativos.

"Vacinas, "produtos de beleza" repletos de produtos químicos feitos a partir de bebês por nascer assassinados através de genocídio legalizado. A comida processada não é a única fonte oculta de aditivos feitos com tecidos de fetos humanos abortados - muitos dos chamados "produtos de beleza" e vacinas também estão repletos de aditivos derivados de tecido de bebês abortados. De acordo com EndAllDisease.com, produtos "beleza" e cremes antirrugas da Neocutis são feitos de células do bebê abortados coletadas após um período de gestação de 14 semanas.

Muitas vacinas, incluindo a vacina MMR II para sarampo, caxumba e rubéola da Merck & Co., bem como a ProQuad (Merck), Varivax (Merck), Pentacel (Sanofi Pasteur) e Havrix (GlaxoSmithKline), também contêm derivados de bebês humanos abortados.

A lista a seguir descreve produtos "alimentícios" processados, vacinas e "produtos de beleza" conhecidos por conter ingredientes derivados de bebês humanos abortados (e provavelmente há muito mais; o melhor que você pode fazer é evitar todos os alimentos processados em geral):

Produtos da Nestlé:

  • Todos os substitutos de creme de café.
  • Maggi Brand sopas instantâneas, cubos de caldo de carne,
    Nescafe Classic Coffee, Decaf, Taster's Choice, Nescafé Gold
  • Doces: Aero, Baby Ruth, Butterfinger, Cailler, Crunch, Kit Kat, Orion, Smarties, Wonka
  • Bebidas: Juicy Juice, Nesquik, Milo, Nestea
  • Alimentação Infantil: Gerber, Graduates
  • Alimentos: Hot Pockets, Lean Cusine Frozen Food, Pasta Buitoni, Herta, Maggi, Stouffer's, Thomy
  • Cereais: Cini Minis, Cookie Crisp, Fitness, Nesquik
  • Águas: Pure Life, Perrier, S.Pellegrino
  • Leites: Carnation Coffee Mate
  • Vitaminas: Boost, Nutren Junior, Peptamen AF, Resource High
  • Sorvetes da Nestlé, incluindo Dreyer's, Extreme, Haagen Dazs, Mövenpick
  • Comida para Animais: Alpo, Baker's, Benful, Bloom, Cat Chow, Chef Michael's, Dog Chow, Fancy Feast, Felix, Friskies, Gourmet, Purina ONE, Purina Pro Plan
  • Nutrição Esportiva: Power Bar Performance
  • Controle de Peso: Jenny Craig

NEOCUTIS Produtos de "Beleza":

Neocutis usa células de bebês masculinos abortados após um período de gestação de 14 semanas em seus cremes anti-rugas. Os seguintes cremes que eles vendem contêm células de fetos abortadas, mas precisamos boicotar todos os seus produtos.

  • Bio-Gel Prevedem Journee
  • Bio-Serum Lumiere
  • Bio Restorative Creme para Pele

Decouverte Cosmetics: Empresa francesa. A maior parte de sua publicidade é em francês, mas seus produtos contêm células-tronco embrionárias.

Vacinas:

  • ProQuad (MMR + Varicela - Merck)
  • Varivax (Varicela - Merck)
  • Pentacel (Polio + DTaP + HiB - Sanofi Pasteur)
  • Vaqta (Hepatite-A - Merck)
  • Havrix (Hepatite-A - Glaxo SmithKline)
  • Twinrix (Hepatite-A e B combo - Glaxo)
  • Zostavax (Herpes - Merck)
  • Imovax (Raiva - Sanofi Pasteur)
  • Adenovirus 5,7 (Barr Laboratories)
  • MMR II - Sarampo + Caxumba + Rubéola (Merck)
  • Acambis 1000: Varíola (Acambis)
Outros Medicamentos:
  • Pulmozyme (Fibrose Cística - Genetech)
  • Enbrel (Artrite Reumatóide - Amgen)
  • rhFVIII, rhFVIX, Nuwiq para Hemofilia (Octapharma)
  • G-CSF: estimulante dos glóbulos brancos (Octapharma)
  • Pulmozyme: Fibrose Cística (Genetech)
  • Abciximab/Repro (Eli Lilly)
  • Aranesp, Procrit Darbepoetin alfa Epogen, Epoetin alfa (Amgen)

Em março de 2012, sob Obama, a Comissão de Valores Mobiliários[2] decidiu que a PepsiCo canibalizar um feto abortado 'é um negócio comum'.

Os acionistas não serão informados ou autorizados a votar a resolução. Em uma decisão chocante, proferida em 28 de fevereiro de 2012, a Comissão de Valores Mobiliários do Presidente Obama determinou que o uso de abortos de fetos pela PepsiCo em seu contrato de pesquisa e desenvolvimento com a Senomyx para produzir intensificadores de sabor se enquadra nas "operações comerciais comuns".

A carta assinada pelo Procurador Bryan Pitko do Gabinete de Assessoria Jurídica da SEC foi enviada em resposta a um documento de 36 páginas submetido pelos advogados da PepsiCo em janeiro de 2012. Nesse processo, a PepsiCo apelou junto à SEC que rejeitasse a resolução do acionista apresentada em outubro de 2011 para que a empresa "adote uma política corporativa que reconheça os direitos humanos e empregue padrões éticos que não envolvam o uso de restos de seres humanos abortados em acordos de pesquisa e desenvolvimento privados e colaborativos." George A. Schieren, advogado chefe da PepsiCo, observou que a resolução deveria ser excluída porque "lida com assuntos relacionados às operações comerciais comuns da empresa" e que "certas tarefas são tão fundamentais para administrar uma empresa no dia-a-dia que elas não poderiam estar sujeitas à supervisão do acionista".

Debi Vinnedge, Diretora Executiva da Children of God for Life, a organização que expôs a colaboração entre a PepsiCo e a Senomyx ficou chocada com a apatia e a insensibilidade tanto dos executivos da PepsiCo quando da administração Obama. "Não estamos falando sobre que tipo de lápis a PepsiCo quer usar, estamos falando em explorar os restos de uma criança abortada para obter lucro", disse ela. "Usar o rim embrionário humano (HEK-293) para produzir intensificadores de sabor para suas bebidas está muito longe das operações de rotina!"


Esta história foi atualizada para refletir que:

  • os boicotes públicos, juntamente com a pressão dos acionistas, obtiveram uma grande vitória ao forçar a PepsiCo a encerrar sua parceria com a Senomyx, distribuída pela Ajinomoto e pela Firmenich (que não tem sede nos EUA); e
  • remover os produtos da PepsiCo da lista de boicote. A Kraft/Cadbury Adams também interrompeu seu uso da Senomyx e também foi removida da lista de boicote. Ambas ocorridas em novembro de 2017

Até a presente data, os outros produtos e empresas permanecem na lista de boicote. É importante que continuemos a divulgar que ainda existem algumas empresas que não descontinuaram o uso de Senomyx e HEK-293 em seus produtos. Isto é um ultraje! Como Phillip Morse foi severamente punida em 1999, pelo o uso da nicotina como substância aditiva e a utilização de publicidade falsa e enganosa pelas quais continua a pagar até hoje. O Congresso deveria aplicar a devida diligência às empresas que estão usando esta substância e deveriam sofrer processos pelo Departamento de Justiça sob a Rico Act[3], e o chefe da FDA e sua diretoria deveriam ser demitidos e ainda responderem a processos judiciais.


Notas:

[1] A Food and Drug Administration (FDA ou USFDA) é uma agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, um dos departamentos executivos federais dos Estados Unidos. A FDA é responsável pela proteção e promoção da saúde pública através do controle e supervisão da segurança alimentar, produtos de tabaco, suplementos dietéticos, prescrição e over-the-counter medicamentos farmacêuticos (medicamentos), vacinas, biofarmacêuticos, transfusões de sangue, dispositivos médicos, radiação eletromagnética (ERED), cosméticos e alimentos para animais[3] e produtos veterinários. A partir de 2017, 3/4 do orçamento da FDA (cerca de milhões) é financiado pelas empresas farmacêuticas, devido ao "Prescription drug user fee act", que está em vigor desde 1992, sendo revalidado a cada 5 anos, como ocorreu em 2017

[2] A Securities and Exchange Commission(Comissão de Valores Mobiliários), frequentemente abreviada SEC, é uma agência federal dos Estados Unidos que detém a responsabilidade primária pela aplicação das leis de títulos federais e a regulação do setor de valores mobiliários, as ações da nação e opções de câmbio, e outros mercados de valores eletrônicos nos Estados Unidos.

[3] A Racketeer Influenced and Corrupt Organizations Act (Lei Relativa às Organizações Influenciadas pela Extorsão e pela Corrupção), comumente chamada de RICO Act ou simplesmente RICO, é uma lei federal dos Estados Unidos que prevê penalidades criminais prolongadas e uma ação de causa civil por atos praticados como parte de uma organização criminosa existente. A RICO Act centra-se especificamente na extorsão e permite que os líderes de um sindicato sejam julgados pelos crimes que ordenaram que outros o fizessem ou os ajudassem a fazer, fechando uma lacuna percebida que permitia que uma pessoa que instruísse outra pessoa a, por exemplo, assassinar, ficasse isenta do julgamento porque não cometera o crime pessoalmente.

Fonte: Agenda 21 Truth