Notre Dame Queima e a Igreja Chora

Por 800 anos o povo da França deu ao mundo um grande presente. Por 800 anos, milhões incontáveis experimentaram sua beleza transcendente. Daí, em uma tarde, ela se foi - destruída pelo fogo. Nós a assistimos queimar, e, em toda a cristandade, homens e mulheres ficaram surpresos com a extensão de sua própria dor.

Nos dias e semanas que se seguirão, as pessoas compartilharão suas histórias sobre a Notre Dame. Aqui vai a minha. Em 9 de março de 1996, entrei na grande catedral na manhã do dia do meu casamento. A gravidade do momento estava começando a pesar e eu queria um lugar para rezar. Nós, protestantes, estamos acostumados a pensar nas grandes catedrais da Europa principalmente como atrações turísticas - como belos edifícios históricos e não como igrejas reais e vivas. Aquela manhã transformou meu coração.

Era muito cedo para a maioria dos turistas chegarem, então passei por outros devotos, homens e mulheres de joelhos diante do Senhor. Eu ajoelhei também. Pedi a bênção de Deus para a cerimônia, para o meu casamento e para filhos que esperávamos ter. Naquele momento, senti a presença de Deus, mas também senti outra coisa - por um momento fiquei desconcertado ao pensar no grande número de pessoas que se ajoelhavam nesse mesmo local e pediam a Deus essas mesmas coisas boas. Eu me senti mais ligado ao Corpo maior de Cristo do que eu já senti antes.

A Notre Dame que visitei não era apenas um belo edifício. Não era apenas uma maravilha da arquitetura medieval. E não era apenas o centro da nação francesa - o lugar onde os reis e imperadores foram coroados. Era um símbolo de uma Igreja duradoura e da presença perene de Deus. A França sentirá sua perda mais do que imagina agora. Nós todos iremos.

Eu cresci familiarizado com os argumentos contra as grandes catedrais. A despesa, em meio a culturas pobres, onde a maioria das pessoas lutava apenas para sobreviver, parecia desconcertante. Alguns consideravam a sua própria existência mais como uma afirmação do poder terreno da Igreja, do que como uma marca da devoção eterna da Igreja. Com o tempo, no entanto, cheguei a uma visão diferente. Sim, eu sei que todos os esforços mortais são maculados por motivos mistos, e nenhum homem é verdadeiramente puro de coração, mas é uma coisa maravilhosa devotar tal tamanho esforço e imenso talento para glorificar a Deus.

Enquanto escrevo este texto, nós ainda não sabemos o quanto da grande catedral ainda restará quando as chamas se arrefecerem. Já se fala em reconstrução, de torná-la magnífica novamente. Mas a catedral que um dia existiu, se foi para sempre. Isso bem sabemos. 

Mas na perda talvez haja uma medida de esperança. Deus muitas vezes se move em tempos de tristeza, e como cristãos lamentam a perda de Notre Dame, talvez alguns aproveitem este momento para lembrar o verdadeiro propósito de Notre Dame. E talvez eles se lembrem das palavras do profeta Jeremias, no livro das Lamentações, escrito em outro momento de perda terrena indescritível - a queda da Cidade Santa de Jerusalém  

"É graças ao Senhor que não fomos aniquilados, porque não se esgotou sua piedade. Cada manhã ele se manifesta e grande é sua fidelidade."

Por David French - National Review