Campeã do Feminino e Mártir de Auschwitz: 47 belas citações de St. Teresa Benedita da Cruz

  1. Que possamos voltar o olhar à Mãe de Deus, Maria, nas bodas de Caná O seu olhar silencioso e perscrutador observa tudo e repara onde falta alguma coisa. E antes que alguém perceba e ocorra algum embaraço, ela já prestou a sua ajuda. Encontra meios e modos, dá as indicações necessárias, e isso tudo em silêncio, sem deixar perceber nada.
  2. Dar espaço a Deus na alma, significa empreender uma luta sem medida contra a própria natureza, é abraçar a própria cruz e abandonar-se à crucifixão
  3. Cristo faz dom de sua vida para abrir aos homens a entrada para a vida eterna. Portanto, para conquistar a vida eterna, também os homens devem sacrificar a vida terrena.
  4. Como o corpo terreno tem necessidade do pão cotidiano, assim, a vida divina em nós pede contínuo alimento. "Este é o pão da vida, descido do céu." E em nós quem o faz tornar-se seu pão cotidiano, a cada dia se realiza o mistério do Natal, a encarnação do Verbo.
  5. Quanto mais uma pessoa vive recolhida no íntimo da sua alma, mais forte é a irradiação que parte dela e atrai os outros ao seu redor.
  6. Para conseguir ver atendidos os pedidos que temos no coração, não existe meio melhor do que aquele de colocar a eficácia de nossa oração no pedir a Deus aquilo que lhe causa mais prazer.
  7. A essência mais íntima do amor é a doação. Deus que é amor, dá-se à criatura que ele mesmo criou por amor.
  8. Cada um deve conhecer a si mesmo para saber onde e como poderá encontrar a serenidade e a paz.
  9. A ciência mais íntima do amor é a doação. Deus que é Amor, doa-se nas criaturas que Ele criou para o amor
  10. Uma coisa é certa, que vivamos no momento e no lugar presentes para alcançar a nossa salvação e a daqueles que nos foram confiados.
  11. A oração é uma escada de Jacó, pela qual o homem eleva sua alma a Deus e a graça de Deus desce ao homem.
  12. Deus não exige nada do homem, sem oferecer-lhe ao mesmo tempo, a força para isso.
  13. Aqueles que entendem o que é a cruz de Cristo, devem carregá-la em nome de todos.
  14. Não é possível separar alguém por distância de espaço, quando estamos unidos a Deus.
  15. O caminho para a vida interior é Cristo.
  16. A oração da Igreja é a oração de Cristo que continua vivo.
  17. A doação a Deus sem limites, a divina oferta, a plena e duradoura união, é a maior elevação do coração, alcançável por nós; é o maior grau de oração.
  18. Maria nos gerou segundo a vida da graça, dando-se totalmente, de corpo e alma, para ser a Mãe de Deus.
  19. Não é a atividade humana que pode salvar-nos, mas só a Paixão de Cristo.
  20. Quem procura a verdade, consciente ou não, procura Deus.
  21. A cruz é o caminho que conduz da terra ao céu. Quem a abraça com fé, amor, esperança, é levado para o alto, até o seio da Trindade.
  22. Precisamos dos momentos, em que escutando em silêncio, deixamos agir em nós a Palavra divina, até que ela nos leve no sacrifício de louvor e no sacrifício da ação, a dar frutos.
  23. Para poder nos dar a Deus com amor devemos reconhecê-lo como Aquele que ama.
  24. "Ama o teu próximo como a ti mesmo", é o tomado sem reservas nem reduções. O meu próximo não é aquele que me é simpático, mas é aquele que está junto de mim, sem exceção alguma.
  25. Quanto mais se resiste no silêncio, menos se sente o mal.
  26. o recolhimento e no silêncio se realiza a obra da salvação. No diálogo silencioso do coração com Deus, são preparadas as pedras vivas pelas quais se constrói o reino de Deus...
  27. Deus mesmo nos educa a caminharmos com a mão na sua mão, isto por meio da liturgia da Igreja.
  28. Ajudar Cristo a carregar a cruz proporciona uma alegria forte e pura e aqueles que podem e a levam, os construtores do Reino, são os autênticos filhos de Deus.
  29. Se Deus está em nós , e se Deus é amor, é inevitável que nós sejamos irmãos: por isso o nosso amor pelo próximo está na medida do nosso amor por Deus.
  30. A Virgem que guardava no seu coração cada palavra que Deus lhe dirigia, é o modelo das almas atentas nas quais é revivida a oração de Jesus sumo Sacerdote.
  31. Quem se entrega ao Senhor sem reservas, Ele o escolhe como instrumento, para construir o seu reino.
  32. Estás diante do Senhor que pende da Cruz com o coração despedaçado; Ele derramou o sangue de seu coração para conquistar o teu coração
  33. Estar diante da face do Deus Vivo, esta é a nossa vocação.
  34. Na Paixão e morte de Cristo, os nossos pecados foram apagados. Se acolhermos com fé essa verdade, aceitando fielmente, e sem reservas, o Cristo por inteiro, de modo a escolher e trilhar o caminho da imitação de Cristo, Ele, através de sua Paixão e morte nos conduzirá à glória da ressurreição.
  35. Maria, hoje permaneci contigo sob a cruz e jamais sentira tão claramente que foi sob a cruz que te tornaste nossa Mãe. Como a fidelidade de uma mãe da terra não escutaria solícita a última vontade do filho?".
  36. Quanto mais escuridão se faz ao nosso redor, mais devemos abrir o coração à luz que vem do alto
  37. É preciso alimentar a vida espiritual, especialmente quando se deve dar muito aos outros.
  38. Só se adquire a ciência da cruz, carregando-a nos ombros.
  39. A cruz serve de bastão para acelerar a marcha para o cume.
  40. A vida divina acesa na alma é a luz vinda nas trevas, é o milagre da noite santa.
  41. Quanto mais elevado é o grau de união amorosa ao qual Deus destina a alma, tanto mais profunda e persistente deverá ser a sua purificação.
  42. A virtude do Espírito Santo cobriu a Virgem Maria enquanto esta, sozinha, rezava e realizou a Encarnação do Redentor.
  43. Somente no momento em que a alma, por amor a Deus , se despojar de tudo o que não é Deus , e o amor é isso, poderá ser iluminada e transfigurada em Deus.
  44. Cada mulher seja uma cópia da Mãe de Deus, seja uma esposa de Cristo, seja uma apóstola do Coração Divino. Todas, então, corresponderão plenamente à sua vocação feminina, independentemente das circunstâncias e das atividades exteriores nas quais realizam as tarefas desenvolvidas.
  45. Se Maria é o protótipo da genuína feminilidade, a imitação de Maria deve ser o fim da formação da jovem
  46. Que possamos voltar o olhar à Mãe de Deus, Maria, nas bodas de Caná. O seu olhar silencioso e perscrutador observa tudo e repara onde falta alguma coisa. E antes que alguém perceba e ocorra algum embaraço, ela já prestou a sua ajuda. Encontra meios e modos, dá as indicações necessárias, e isso tudo em silêncio, sem deixar perceber nada.
  47. Maria, tu nos conheces a todos: nossas feridas, nossas chagas, tu conheces também o esplendor celeste que o amor de teu Filho quer difundir sobre nós na claridade eterna. Assim, guia solícita nossos passos.


Fontes: