A Virtude Do Patriotismo

22/09/2020

A Virtude da Justiça

Antes de começarmos a entender o patriotismo como uma virtude, devemos primeiro olhar para a virtude mais ampla da piedade. E antes que possamos começar a entender a piedade, temos que entender a virtude cardeal mais ampla da justiça. A palavra "cardeal" vem da palavra latina que significa "principal" e, portanto, uma virtude cardinal é uma virtude sobre a qual todas as virtudes subordinadas dependem. São elas a Prudência, a Justiça, a Temperança e a Fortaleza.

A justiça existe entre seres para que possam agir moralmente uns com os outros. Como virtude, regula a maneira como os seres humanos operam e interagem. A justiça usa de coisas que existem fora de nós para levar os outros ao bem. Essa interação de busca de justiça pode ocorrer entre indivíduos ou entre um indivíduo e sua comunidade maior. Geralmente, todas as pessoas de boa vontade, motivadas pela justiça, buscam o bem comum de cada pessoa. O cristão, é claro, sabe que o bem comum deve sempre dirigir uma pessoa ou uma comunidade ao bem maior: Deus.

Santo Tomás de Aquino na II parte da II Parte da Summa Theologiae, Questão 58, Artigo 11 define justiça nestes termos: "o ato próprio da justiça não consiste senão em dar a cada um o que lhe pertence ".

Quando lidamos com seres humanos, a justiça exige que todas as pessoas sejam tratadas com igual respeito e dignidade. Cada pessoa humana, independentemente da circunstância, sexo, raça, nacionalidade, cultura ou qualquer outra característica, é feita à imagem e semelhança do Deus Todo-Poderoso. Todos nós somos pecadores e, portanto, mesmo os piores pecadores, merecem ser tratados com justiça. Essa identidade fundamental faz parte de nossa natureza como criaturas humanas. Portanto, a justiça determina que tratemos uns aos outros de acordo com essa realidade.

A Virtude da Piedade

Vamos nos aprofundar agora na virtude da justiça. A misericórdia é uma virtude sob o guarda-chuva da justiça. Na verdade, justiça sem misericórdia não é justiça de forma alguma. A misericórdia é amor, nos dado primeiro por Deus, pelo qual nos voltamos para a necessidade e a fragilidade dos outros para oferecer-lhes ajuda espiritual e corporal. Oferecemos essa ajuda por causa da ordem de Jesus Cristo de servir ao menor de nossos irmãos, mas também porque a justiça o dita.

Uma outra virtude sob o guarda-chuva da justiça é a piedade. Aqui temos que fazer uma distinção. O Dom do Espírito Santo da Piedade é reconhecer nossa total confiança em Deus e vir diante de Sua majestade com humildade, confiança e amor. A virtude da piedade trabalha juntamente com esse dom. Santo Tomás de Aquino se refere à definição de piedade do estadista romano Túlio: "A piedade nos leva a prestar serviço e culto aos que nos estão unidos pelo sangue e aos amigos da nossa pátria".

A piedade reconhece que Deus é a fonte primária tanto da vida quanto do governo. Entramos no mundo pela família em uma sociedade que é governada. Portanto, sabemos que Deus sustenta a propagação da raça humana e das autoridades legítimas que exigem nossa obediência. Em segundo lugar, recebemos nosso próprio ser de nossos pais e somos governados pelo nosso país. Santo Tomás de Aquino ensina muito claramente que, depois de Deus, somos principalmente donos de nossas vidas e do bem-estar devido aos nossos pais e ao nosso país.

Piedade significa honrar nossos pais e, por extensão, toda a nossa família, e honrar nosso país, que inclui nossos concidadãos e os aliados de nosso país.

A Virtude do Patriotismo

Se nos aprofundarmos na justiça e depois na piedade, veremos dois ramos principais: 1) nossa família estendida e comunidade local e 2) nossos compatriotas e amigos de nosso país. Claro, eles não podem ser separados, pois estão inexoravelmente ligados.

No entanto, se nos concentrarmos no segundo desses dois ramos, finalmente chegaremos à virtude do patriotismo. O poder do Estado é concedido por Deus, mas esse poder não permite ao Estado criar ou fazer cumprir leis e ordens que violem os direitos naturais de seus súditos. Se o Estado não infringe essas liberdades naturais, os cidadãos são obrigados a agir em obediência à autoridade legítima.

É impossível ser um patriota sem liberdade. A lealdade civil, em linhas gerais, é a virtude do patriotismo combinada com a virtude da obediência. A lealdade exige que o cidadão seja livre para prestar seus serviços ao Estado. Caso contrário, ele definitivamente não é patriota, mas vive sob opressão.

Patriotismo significa ter um amor e estima justos pelo próprio país. Isso é exteriorizado pela demonstração de honra e respeito aos governantes do Estado, sejam eles quem forem. Com certeza, é possível e até saudável honrar e respeitar um líder e, ao mesmo tempo, discordar das principais políticas e ideias.

Patriotismo significa observar quais leis do Estado estão em harmonia com o ensino social católico e as doutrinas da fé e da moral e quais se opõem à verdade e à Fé Católica. Os cidadãos não estão obrigados pelo patriotismo a leis completamente iníquas. Antes, é um ato patriótico corrigir o erro e colocá-las em consonância com a plenitude da verdade em Jesus Cristo.

Patriotismo significa disposição de dar a vida por seu país. Claro, isso precisamente se concretiza quando entendemos que a virtude da piedade, e portanto da justiça, se refere a toda a nossa família, nossos amigos e nossos compatriotas e aliados. Alguns pagam o maior preço morrendo a serviço de seu país nas forças armadas. Outros entregam suas vidas por seu país dia após dia no serviço normal de seu dever para com sua família, seu trabalho, sua comunidade e os pobres e marginalizados.

O patriotismo tem uma consciência justa do passado e um orgulho equilibrado da identidade nacional. No entanto, não devemos confundir a virtude do patriotismo com uma forma cega, sem sentido e irracional de nacionalismo. Existem aqueles que consideram seu país sem pecados passados. Essa visão não é razoável porque a única sociedade perfeita é a Igreja Triunfante(1) no Céu. No entanto, também não devemos ir para o outro extremo do revisionismo histórico que procura enfatizar a injustiça do passado enquanto se esquece do bem.

Como Crescer na Virtude do Patriotismo

Deixamos três breves sugestões para crescer na virtude do patriotismo.

Da próxima vez que vier um feriado nacional, aprenda sobre ele. Não dê por certo que você sabe o que está sendo celebrado. Realmente mergulhe no dia. Quando começou e por quê? É realmente o que todo mundo pensa que é? Vale a pena lembrar? Vale a pena comemorar? Conheça as respostas a essas perguntas.

Pratique as obras de misericórdia(2) corporais e espirituais. Procure servir seus compatriotas, para a maior glória de Deus. Catolicismo e patriotismo andam de mãos dadas quando se trata de servir ao próximo com amor.

Por um zelo autêntico pelo bem supremo dos seres humanos, Deus providencialmente nos colocou em uma comunidade, um país para que também possamos conduzir as almas a Cristo. Precisamos aprender, portanto, sobre a Fé para que possamos estar prontos para testemunhar a esperança que temos em Jesus Cristo. Compartilhar a fé é sempre para o bem de toda a nação. Isso, claro, começa em casa. Como São João Paulo II disse em uma homilia em Perth, Austrália, em 1986: "Dependendo de como vai a família, o mesmo acontece com a nação e com todo o mundo em que vivemos".

Citações

"Minha aceitação do universo não é otimismo, mais se parece com patriotismo. É uma questão de lealdade primária. O mundo não é uma pensão em Brighton, que temos de abandonar por ser péssima. E a fortaleza de nossa família, com a bandeira tremulando no torreão, e quanto pior ela for tanto menos razão para a deixarmos. A questão não é que este mundo é triste demais para ser amado ou alegre demais para não o ser; a questão é que, quando se ama alguma coisa, a sua alegria é a razão para amá-la, e a sua tristeza é a razão para amá-la ainda mais. Todos os pensamentos otimistas sobre a Inglaterra e todos os pensamentos pessimistas sobre ela são igualmente boas razões para o patriota inglês. ... De modo semelhante, otimismo e pessimismo são igualmente argumentos para o patriota cósmico. As pessoas primeiro prestaram homenagem a um local e depois conquistaram a glória para ele. Roma não foi amada por ser grande. Ela foi grande por ter sido amada." -- G.K. Chesterton

"O homem é devedor principalmente a seus pais e a seu país, depois de Deus. Portanto, assim como pertence à religião dar culto a Deus, também pertence à piedade, em segundo lugar, dar culto aos pais e ao próprio país" - St. Tomás de Aquino

Original em inglês: CatholicLink 


Notas:

(1) Sobre este tema, sugerimos a leitura do artigo A Igreja militante, padecente e triunfante

(2) Sobre este tema, sugerimos a leitura do artigo Você conhece as Obras de Misericórdia?