Vamos falar sobre quão fascinante foi a Europa Medieval (a "Idade das Trevas" realmente não foi tão sombria assim no final das contas)

Escrito por Genevieve Perkins

"Quem é mais civilizado?", Pergunta Anthony Esolen, renomado professor de Clássicos (e membro fundador do novo Centro para a Restauração da Cultura Católica em Thomas More College). Ele nos exorta a pensar sobre a sociedade de hoje em comparação com a chamada "Idade das Trevas" e o que ele tem a dizer, sem dúvida, irá surpreendê-lo!

Embora comumente chamada de Idade das Trevas, a era medieval não era tão sombria, afinal. Historicamente, a Era das Trevas descreve com mais precisão um período na Grécia antiga entre 950 e 750 a.C. quando a população caiu, os assentamentos foram deixados de lado a favor de um retorno ao estilo de vida nômade e a escrita e a civilização micênicas desapareceram. A Idade Média, ou Era Medieval, foi um período na história cheio de literatura, carnavais, peças e outras atividades culturais. Sem mencionar, cristãos incrivelmente devotos que disseminavam a fé e a filosofia (e a ciência!) Enraizadas, e por causa de sua forte devoção a Cristo.

Você provavelmente aprendeu na aula de história do ensino médio sobre a Peste Negra, as Cruzadas (aqui e aqui), papas ruins, falta de latrinas sanitárias, cavalos e carruagens, e uma série de outras coisas ensinadas de forma negativa. Deram ênfase ao lado negativo para levar você a valorizar o que tem agora, ou apenas porque os autores de livros didáticos não sabiam o quão fascinante foi a Idade Média? Alguma vez nos perguntamos se o currículo de nossas escolas tem uma agenda tendenciosa?

Existiram muitos outros séculos sem banheiros e ainda bem que tudo isso ficou pra trás! A Idade Média também foi o tempo de príncipes e princesas, santos incríveis, heróis e avanço científico. Tal como acontece com a maioria dos outros períodos da história, este não pode ser retalhado em datas e completamente separado de outros períodos de tempo. Eles estão todos conectados.

Por exemplo, o Renascimento, que comumente é considerado o período de tempo mais positivo após a Idade Média, foi matéria de debate entre historiadores sobre se esse período de fato aconteceu ou não. O termo foi cunhado em 1858 por Jules Michlete, e mais tarde Jacob Burckhardt usou isso em seu livro The Civilization of the Renaissance in Italy [N.T.: A Civilização da Renascença na Itália]. Mas, muitas características (ciência, literatura, cultura, festividades) atribuídas ao Renascimento podem ter sido originadas ou existiram durante a Idade Média.

Ou pegue o Iluminismo (final do séc. XVII até o início do séc. XIX). O que há de tão Iluminado nisso? Por que chamamos assim? Estas são perguntas que aprendi a refletir como especialista em história. Certamente, se torna mais fácil falar sobre certas eras rotulando-as, mas tenha em mente quem rotulou e o porquê. O Iluminismo estava cheio de ideologias novas, avanços tecnológicos e revoluções. Bom ou ruim - o que você acha do rótulo "iluminado", especialmente como católico, quando esse período possuía escolas de pensamento filosóficas bem pouco favoráveis ao cristianismo?

Então, quem decidiu que se denominasse Idade das Trevas? Claro, eu não apreciaria a Peste Negra ou necessariamente gostaria de ser separada do meu marido caso partisse para lutar nas Cruzadas. Isso seria aterrador! Mas, olhe para nós hoje - temos armas nucleares e terrorismo. Não estamos muito melhores, apenas diferentes.

A única vez que eu diria que um é potencialmente "melhor" do que o outro é quando se compara AD (Ano do Senhor) com AC antes de Cristo. Mas aí, é Deus quem sempre está vigiando a humanidade, portanto, quem deve dizer qual é melhor e qual não é?

Temos a tendência de achar que nossa sociedade atual é incrivelmente progressiva porque temos telefones inteligentes, vacinas, aviões e democracia. Achamos até que estamos melhores que todos os outros seres humanos de períodos anteriores ao nosso. Mas, pense nisso deste jeito: as pessoas que viveram na "Idade das Trevas" souberam sofrer, enquanto hoje nós tendemos a apenas saber nos queixar e super medicar nossos corpos e escrever textão nas mídias sociais. Nós não compreendemos a peregrinação do mesmo jeito que os homens medievais compreendiam, exageramos nossos direitos de voto e pensamos que nossa opinião importa tanto, que negamos aos outros o livre arbítrio e expressão, e caminhamos como zumbis digitando textos em nos nossos celulares em vez de apreciarmos nosso entorno.

Não me interpretem mal, os celulares inteligentes, as vacinas, os aviões e a democracia são ótimos! Sou muito agradecida a eles. Mas também agradeço à história, pelo milagroso tempo e esforço que nossos antepassados colocaram na construção de castelos e catedrais medievais, e tudo o mais que eles nos legaram! Em vez de culpar a Igreja Católica (que era a única igreja cristã na época) e seu povo por suas falhas, sou grata pela sobrevivência da Igreja nos últimos milênios e por todos os santos que ajudaram a humanidade. Não deixe que ninguém o desvie do orgulho por sua herança ou tradições católicas por causa de uma visão enviesada sobre Idade Média!

Então, quem é mais civilizado?

O Professor Esolen salienta em resposta a sua própria pergunta: "Rejeitamos as conquistas de nossos antepassados e ficamos aquém deles. Eles [aqueles na Idade Média] honraram seus antepassados e os superaram ".

É difícil nos ver como mais civilizados quando a situação é colocada dessa forma.

Especialmente como católica, minha vida é muito enriquecida pelas tradições passadas. Eu vivo à luz da verdade, e eu não acho que a verdade seja que a "Idade das Trevas" fosse tão obscura assim. Eu não gostaria de uma máquina do tempo que me levasse de volta a um tempo sem encanamento doméstico porque sei que se Deus me colocou neste tempo e lugar é por algum motivo.

Imagine um mundo sem todas as distrações que temos, onde as pessoas têm muito tempo para pensar, contemplar. Esse é um ótimo lugar para se viver, e também é nosso. Tipo me faz querer desligar meu computador agora e ir caminhar na praia aqui perto de casa apenas para ouvir o vento e as ondas.

Leituras Sugeridas

Obras Medievais

  • Summa Theologia por Thomas de Aquino
  • A Regra de São Bento por São Bento
  • Itinerário da Mente para Deus e Redução das ciências à teologia por S. Boaventura
  • A Consolação da Filosofia por Boécio
  • O Castelo Interior por Sta. Theresa d'Ávila
  • Sobre a Encarnação do Verbo por St. Atanásio
  • Os Contos de Canterbury por S. Thomas Becket
  • Revelações do Amor Divino por Sta. Juliana de Norwich
  • Sir Gawain e o Cavaleiro Verde - Anônimo
  • Canção de Rolando - Anônimo
  • Decameron por Giovanni Boccaccio
  • Piers Plowman por William Langland

Livros sobre a Idade Média*

  • Idade Média: O que não nos ensinaram por Régine Pernoud
  • A Mulher no Tempo das Catedrais por Régine Pernoud
  • A Ciência e a Organização dos Saberes na Idade Média por Luiz Alberto de Boni (org.)

* Sugestão do Legendas Católicas