Arceb. Sheen: Os Leigos Devem Lutar Esta Guerra

A guerra civil na Igreja Católica que é fomentada pelo clero gay e bispos homossexuais deve ser combatida pelos leigos.

Em 1972, o Acerb. Fulton Sheen reconheceu a crise de fé resultante da fraca liderança católica e da má formação dos clérigos. Ele também viu o papel dos leigos em virar a maré. Naquele ano, o santo e instruído bispo disse isso em um discurso na Convenção Suprema dos Cavaleiros de Colombo:

Quem vai salvar a nossa Igreja? Não nossos bispos, nem nossos padres e religiosos. Cabe a vocês, o povo. Vocês tem as mentes, os olhos e os ouvidos para salvar a Igreja. A missão de vocês é ver se seus padres agem como padres, se seus bispos agem como bispos e se seus religiosos agem como religiosos.

A crise da Igreja, prevista por Sheen em 1972, e o papel dos leigos em ajudar a Santa Madre Igreja tem sido repetido pelos prelados modernos, incluindo o Card. Raymond Burke, antigo prefeito da Signatura Apostólica, e Bispo D René Gracida, ex-bispo de Corpus Christi, no Texas, EUA.

Cardeal Burke diz que para mudar as coisas na Igreja deve-se começar no chão da fábrica, uma vez que outras vias dentro da hierarquia da Igreja estão bloqueadas. Bispo Gracida disse que os colegas bispos precisam acima de tudo de coragem e que os leigos devem se levantar corajosamente para confrontar os erros perpetrados por seus pastores.

Todos concordam que a primeira batalha para todos nós é a batalha interior. Cada pessoa deve primeiro lutar para se tornar santo antes de poder lutar contra a maior batalha furiosa que ocorre dentro da Igreja.

Original em inglês: Church Militant